Archives for category: assinoembaixo

Antes de tudo, este não é um post pago. Ele é baseado na felicidade de encontrar um restaurante bom ao lado de casa.

Numa dessas de ficar lendo feeds de Facebook, eis que um dia uma conhecida postou fotos de seu almoço, como cada dia é mais comum. Olhei a foto curiosa, porque a comida parecia boa mesmo, só que o ambiente tinha cara de casa dos outros.

Alguns dias depois, a mesma conhecida, a ex-Impostora Barbara, postou mais informações sobre o restaurante, o Otto Bistrot. E qual não foi minha surpresa ao saber que, 1 – ficava ao lado de casa, 2 – a proposta do local era Slow Food.

E lá fui eu conhecer a casa. Para minha surpresa, mal entrei e já dei de cara com a própria Barbara, que almoçava por lá. Sentamos juntas e a queridíssima Jackie, que cuida de tudo por ali, me explicou sobre o cardápio, a proposta, o universo e tudo mais.

Funciona assim: é slow food, ou seja, não tem um cardápio fixo, pois depende do que o fornecedor vai entregar de mais fresco no dia – e ainda tem o lance da comida ser sempre uma surpresa. São sempre três opções mais o plat du jour, todos acompanhados de uma entrada que pode ser sopa ou salada. Coincidentemente, minha comida favorita estava no cardápio: coxinha de frango no vinho branco. Acompanhava arroz 7 grãos e beterraba ao limão. De entrada, pedi uma salada de alface com papaia e morango que dispensava qualquer tipo de tempero. Na lateral do prato, duas bruschetinhas DELICIOSAS me fizeram comer soltando impropérios.

Isso foi o que lembrei de fotografar, o resto eu comi.

De sobremesa, pedi uma cuca de baunilha com geléia de morango e sorvete de creme. Enquanto eu comia (e chorava de alegria), a dona do lugar, a Bia, veio me contar que na parte de cima da casa ainda tinha um espaço onde acontecem exposições e mais um salão de cabeleireiro, o La Bohème. E o mais legal: ela abre o espaço para os que estão de saco cheio de fazer home-office e querem respirar outros ares enquanto trabalham. Sério? Posso ir num lugar pra usar o wi-fi e comer bem sem nenhum garçom me olhando feio? Sim, é possível!

Você não precisa estar na Consolação pra conhecer o Otto Bristrot. Aproveita um dia de pouca criatividade na cozinha e se manda pra lá – e me convida, que eu desço rapidinho.

Otto Bistrot
Rua Pedro Taques, 129
Consolação – São Paulo
(11) 3231 5330
Twitter: @ottobistrotsp
E-mail: ottobistrot@ottobistrot.com

Advertisements

Já era quatro da tarde do domingo quando eu lembrei que precisava fazer compras para preparar as marmitas da semana. Minha mãe estava passando um tempo em casa e sugeriu alguns pratos rápidos, pra eu não enlouquecer como de costume e acabar fazendo miojo só de raiva. Foi aí que ela lembrou de uma receita criada pela Edna, que trabalha lá em casa: o Chapisco.

O prato tem esse nome porque ele consiste num grude feito de legumes, arroz e carne moída, e se jogado na parede é bem capaz de criar o efeito homônimo. É tão fácil, tão rápido e tão gostoso, que já virou minha comfort food favorita – e a mais saudável, já que todos sabemos que eu sou bem amiga das frituras.

A receita é mais ou menos assim (sem medidas, porque grude dispensa essas frescuras):

– patinho moído (ou a carne de sua preferência)
– batata
– cenoura
– ervilha
– champignon
– arroz (fiz com integral)
– óleo
– sal a gosto

Frita a carne moída num pouquinho de óleo, até começar a soltar água. Mistura o arroz e os legumes, picados bem pequenininhos, nessa água e espera secar. Pronto, é isso. Se a água não for suficiente, acrescente mais aos poucos, sem ensopar a mistura. Pra dar uma corzinha, pode colocar um pouco de molho de tomate na carne.

Da próxima vez que eu fizer Chapisco, to até pensando em comprar pão francês pra jogar a mistura no meio e comer como buraco quente. Porque o Chapisco conquistou meu coração e vai ser feito semanalmente aqui em casa. Obrigada, Edna!

Esse recado é para os leitores tr00, que acompanham o blog pelo site mesmo, e não pelo twitter e facebook, onde a notícia já foi dada.

A novidade é que fui convidada pela espetacular/espetaculosa Dalila Góes para ser a terceira Maria do Maria Tá Na Moda. Então anota no seu google calendar: toda sexta-feira tem post novo sobre tudo o que anda acontecêindo nessa rede mundial de computadores de meu deus. E, claro, não deixa de acessar nos outros dias, pra ver o que as outras gatas, Dalila e Manoela, têm a dizer – elas sempre têm e é sempre ótimo!

Então é isso, guardem o endereço e acessem!

Brasília ainda está longe de ser uma cidade de inúmeras opções gastronômicas, mas tem caminhado a passos largos em direção ao lugar ao sol no Guia Michelin – ou algo que valha, que eu não entendo nada dessasporra. Prova disso é a descoberta feita esta semana, que fecha o triunvirato dos hambúrgueres maravilhosos da cidade, sem mesmo conhecer totalmente a concorrência.

Vou dividir em três categorias: o hambúrguer-moleque, hambúrguer-arte e hambúrguer-tradição. E se você planeja vir a Brasília, tome nota para não perder a viagem.

Burguer Gourmet, o moleque – embora tenha esse nome, ele é o mais família dos três. Numa lanchonetezinha simples, eles te trazem um cardápio de uma folha com as opções de tamanho da carne e acompanhamentos da chapa. Aí chega o seu hambúrguer: pão, carne e, se você pediu, queijo, bacon, etc. Então você vai até uma mesinha onde tem picles, salada, cole slaw, molhos e outros acompanhamentos. Esses você pode pegar à vontade, e as misturas ficam maravilhosas. Curiosidade: li neste site aqui que o dono, um americano, foi cozinheiro de embaixadas e resolveu abrir o próprio negócio.

Fica na CLN 412, bloco C. Não tem site.

Genaro, o artchista – esse eu provei numa noite de carnaval, sozinha, me sentindo rica e elegante. Comecei pedindo a porção de onion rings com uma Stella Artois geladona, e pedi o Steak Au Naturel. A Mari, que foi quem me recomendou o lugar, ainda avisou pra guardar espaço no estômago pro sorvete frito, mas não deu. Saí de lá PLENA, pra botar num termo mais condizente.

O Genaro Jazz Burger Café fica na CLN 114, bloco A e o site é este aqui.

Houston, o old-school – a uma parede de distância do Burger Gourmet, o Houston abriu faz algumas semanas, depois de muito suspense – eu passo na frente dele diariamente e não via a hora de inaugurarem. Fui lá com minha inseparável amiga de novas empreitadas, Carol, e nos deleitamos juntas. BENZADEUS. Neste você também pode montar o seu sanduíche, escolhendo o tipo de carne (picanha, angus beef, frango e até vegetariano), tamanho e acompanhamentos, mas ele já vem pronto. O milk-shake é de chorar e se perguntar se merece tanto. Realmente, só provando.

O site está quase pronto, mas você pode baixar lá na CLN 412, Bloco C e comprovar por si mesmo.

*Este post foi escrito de barriga cheia, ou eu não teria terminado o texto.
**Este post é um protesto pela volta do Pobre Também Come, afinal nenhum desses restaurantes cobra mais de R$ 40 por uma refeição.

Você já possui a sua exclusivíssima Adelaide Ivanova na sua casa? NÃO? Corra, ou você pode estar perdendo a chance de ter uma IT-PAREDE.

A minha amiga fotógrafa neo-germânica das terras de Nassau está se despedindo do mundo das modas em grande estilo, vendendo suas fotos para que você possa agraciar suas paredes com tamanha arte. Para encomendar a sua, você vai aqui, lê as instruções e aproveita pra ler o blog inteiro e rir um pouco. As fotos chegam em alguns dias e ainda vêm assinadas e embrulhadas em papel de seda, cartolina e papelão, tá? Posso dizer que nunca vi essa araponga ser tão prestimosa assim!

Como sou grande colecionadora de Ivices, tendo até uma peça de exposição em casa, comprei mais uma foto – chegou hoje. BEHOLD:

É da piscina do Ernie, assim tenho meus recifenses mais lindos no <3 de uma vez só.

E você, já tá mandando o e-mail pra ela?

Você anda com aquele comichão na mão, querendo gastar mas não sabe bem no quê? Seu dinheiro não gosta de ficar no bolso? Então vem comigo que eu te ajudo a gastar.

Aqui estão alguns blogs de coisas fofas que ando vendo por aí, e que valem uma gastadinha.

Catiguria “Tô Dando Meu Armário”:

Essas meninas cansaram de ter o armário abarrotado e, confiando no bom-gosto, resolveram vender as peças mais legais.

My Vintage Or New Stuff – da Taméri. Ela é modelo, sabe de todas as tendências e não tem medo de gastar. Ou seja, roupas lindas.

Sunglasses Vintage Store – da mãe da Maria, a Karina. Outra que tem um olho ótimo pra coisas legais e resolveu despejar o armário no chão e vender tudo. Sorte a nossa!

Brechó On-line – da Fefê. A Fefê é uma advoGATA (hããã-hã) que está a um mês de se casar e ir embora do Brasil. Ou seja, quer levar uma mala leve pra comprar TUDO o que encontrar pela frente. Bora ajudar, né?

Catiguria “Alegrando o Escritório”

Sabe coisa fofa de stationery? Aqueles mil caderninhos, que você consegue achar uma função pra cada um, e as canetinhas idem, e agora só mais uma cartelinha de adesivos e… Tá aqui.

O Papel de Presente – da Hani. Ela é consultora de imagem e aplica um reiki hipnótico, mas nas horas vagas é designer gráfica e faz esses conjuntos de cadernos, bloquinhos e nécessaires lindos. Meu próximo Moleskine será dela.

Catiguria “GHNHIHGRRRDIETA”

Comida, né, gente.

Vanilla Doces – da Hane Libânio (não confundir com a Hani acima). Eu ainda não provei, porque minha encomenda chega daqui duas horas e meia – estou contando os minutos. Mas fiz o pedido por indicação de um amigo que provou e aprovou. São doces, cupcakes, coisinhas açucaradas pra alegrar aquela semana dos infernos. A má-notícia é que é só pra moradores de Brasília.

E aí, já decidiu por onde começar?

Eu vou contar uma coisa e quero todo mundo fingindo espanto quando eu terminar.

O meu cabelo não é liso como eu costumo exibir.

(Vai, comecem: “Oooooooh“)

Depois de algum tempo tentando deixar a cabeleira crescer – pelo menos até embaixo do peito, assim eu podia sair de SEREIA no carnaval – enchi o saco e passei a tesoura, deixando tudo na altura dos ombros. Achava que ia conseguir deixar amassadinho e nunca mais ia fazer escova.

Ledo engano. Continuei fazendo escova, para esquecer o comentário do Jorge (“Ficou hippie”).

Então meu soulmate Marcuix resolveu tomar uma providência: na minha despedida, ele levou uma sacola com vários produtos da empresa onde ele trabalha, entre eles o shampoo Dove Advanced Therapy e o condicionador leave-on da mesma linha. Segundo ele, era para que eu realmente abandonasse aquele CABELO INTERCÂMBIO que eu andava ostentando.

E, olha, funcionou. Desde então raramente usei o secador. Lavo, borrifo o leave-on e prendo um coque, para soltar quando estiver menos úmido. A franja eu puxo pro lado com um grampo, e depois ela fica no lugar. Ontem mesmo dormi de cabelo molhado e não acordei com cara de Bethânia.

Quer dizer, uma pessoa com bem menos cabelo que eu sabe melhor o que fazer pra não abrir os pulsos de tanto fazer escova. Obrigada, amigo, obrigada, Dove!

(o post não é pago, mas pode estar sendo, hm?)

Assim que comecei a fazer meu curso de desenho, minha mãe resolveu me dar uma mãozinha e me deu de Natal o melhor presente de todos: mandalas de bolso para colorir.

dsc00397

É tipo cocaína encadernada, você começa a colorir um e não para mais. E tem regras, como por exemplo não começar uma mandala sem terminar a anterior. Agora até que eu estou maneirando, mas quando ganhei, toda hora era hora.

Aqui, duas das minhas mandalas favoritas. Ma PARLA, meo.

caminhos da índia

caminhos da índia

daltonico's dream

daltonico's dream

Tenho visto que muitas pessoas estão caindo no meu blog, procurando saber se o My Silhouette realmente funciona. Minha opinião é a seguinte:

Já faz uns seis meses que eu estou usando o gel, mas em frequências diferentes. No começo, como ainda não tinha lançado no Brasil para venda (eu ganhei de brinde, meus famigerados briiindes), eu fiquei com DÓ DE GASTAR. É, foi bem isso.
Aí, quando comecei a fazer academia, passei a usar mais vezes. Tipo dia sim, dia não, porque não sabia bem se usar duas vezes por dia não era só conversa de fabricante.
Bom, aí ontem eu fui fazer drenagem linfática e a massagista me perguntou o que eu fazia para segurar a celulite. Falei que usava de vez em quando o My Silhouette, e ouvi bem assim:
Vamo combiná que você pode usar duas vezes por dia?

soin-corps-nivea-my-silhouette-gel-creme-minceur-remodelant

Então tá, vou começar a usar mais. É que dá preguiça. Por ser gel, ele deixa a mão toda melecada e eu acabo sujando a pia, as roupas e tudo mais. Mas eu vou usar até o fim e aí conto se adiantou alguma coisa. E se alguém tiver alguma história para contar, deixa nos comentários.

Terminada mais uma semana de moda, digo, de lifestyle brasileiro, meu saudoso Jorge voltou de malas cheias de brindes. Desta vez, os brindes mostram que talvez seja o meu lifestyle que esteja precisando de upgrade. Vamos aos produtos:

Esmaltes da Coleção 40 Graus, da Colorama – Nas cores Marinho, Baunilha, 40 Graus e A Gorda Levou O Outro, este último de cor indecifrável. Vou testar o Marinho hoje, é uma versão mais cintilante (ou metálica) de Azulejo Português.

vitamino

Shampoo Vitaminocolor L’Oréal Professional – Faz mais de um ano que não tinjo os cabelos, mas todos sabemos que essas mechas californianas nada mais são do que resto de tinta. Então, meu cabelo pode ser chamado de tingido, e eu vou ver se esse shampoo faz alguma coisa por essas pobres mechas.

absolut

Creme de Tratamento Absolut Repair L’Oreal Expert – Se eu tenho mechas datando mais de um ano, e os restos de escova progressiva? Pois bem, creme neles todos!

revitalift

L’Oreal Revitalift Lotion com SPF 15 – Já usei hoje cedo e já amei. É uma loção bem levinha, com um cheiro ótimo, e a pele fica com uma aparência nova. Acho que o fato de ter passado uma semana na praia e ter reencontrado meu namorado ontem contribuíram.