Bipolaridade foi o tema deste ano. Não que eu tenha me descoberto maníaca-depressiva, é só que nesses doze meses minha vida foi de uma estabilidade de montanha-russa. Tá bom, tá ruim, tá péssimo, tá lindo, vou morrer de lindo, vou me matar de ruim – foi bem assim.

Mas embora tenha sido BEM difícil, não vou mentir, eu não quero falar mal de 2009. Ando porraqui com nego reclamando da vida no blog, no twitter, no facebook, com aqueles lance de cartinha pra deus, sabe? “Favor sei-lá-o-que, grato”. Ah, vão cagar. Então eu só vou falar do que foi bom, que coisa ruim a gente sempre espera.

Mudei de São Paulo para Brasília. Confesso, tinha um preconceito gigantesco com candangos em geral, afinal paulistano de verdade é quase gaúcho no quesito “doing it better” (oba, consegui ofender três ETNIAS na mesma frase!). Paguei a língua, amei a cidade, amei o esquema de vida, não quero me mudar tão cedo.

Enfim um apartamento só meu, só meu. Nos últimos anos eu tive roommates e não era ruim, mas morar so-zi-nha é maravilhoso. Nem que isso implique em viver num espaço de 24m2, eu vivo pra decorar meu LAR. Te amo, muquifinho.

Tive o melhor emprego do mundo, por apenas três meses. Eu nunca fui secretária, ainda mais de embaixador, e nunca imaginei que gostaria tanto de ser. Nesse tempo curto deu pra conhecer dois países diferentes, receber uma delegação, organizar eventos e pagar todos os micos correspondentes. Se não fosse uma crise aí, continuava por anos nessa função.

Encontrei a bioenergética (solta o incenso de patchouli, produção!). Em um momento meio de desespero, acabei no consultório da minha mais nova terapeuta, que consegue curar tudo com sessões de porrada com bastão de baseball e esperneação. E tem dias que eu grito até passar.

Comprei um carro. Ele ainda é só 2% meu, mas é melhor que nada.

Comprei um arquivo e organizei todaminhapapelada. Sério, arquivo, assim. Nunca mais pago conta duas vezes, perco documento ou não acho o manual de algum aparelho. Tá tudo aqui.

Foi isso. Dá pra resumir 2009 como “o ano que eu virei gente”, tá valendo. E 2010 vai ser lindo, ah vai sim.