Um minuto de silêncio para a tia que na verdade era de todos nós. Aquela que na minha lembrança vai sempre correr atrás de nós com um prato de abacaxi, dizendo “Cooooma, coma só mais um”. A que ficou brava em saber que o Roberto que a visitava era, na verdade, o Mano do colégio das sobrinhas. Aquela que esclareceu de uma vez por todas a função de Nhá Nela em nossas vidas.

Tata, já estamos sentindo sua falta.