Sábado à tarde na Rua Galvão Bueno, eu esperava minha mãe parada ao lado de uma senhora, que carregava a netinha de menos de um ano de idade. A menina tinha uns ciliões enormes, e ficou olhando curiosa para mim.
Nisso, chega um senhor japonês, cabelos e barba bem compridos, e começa a brincar com ela. Quando vejo, ele está LAMBENDO a cara da pobrezinha, sob aprovação da vovó. Bom, pensei que fosse o avô dela, né, com essa mistura toda ela bem se passava por sansei. Tá, mas aí eu olhei bem e comecei a notar que o senhor era, na verdade, um passante. E depois de lamber bem a menininha, ele catou a sacola dele e foi embora.

Er.

Ugh.