Ontem foi um dia importante na minha vida. Descobri que João Gravata, jundiaiense, dono de lan house e indahouser, atende por João Francisco no recôndito do lar. O “Gravata” ele mesmo explica: “eu tinha mania de andar sempre com alguma coisa comprida e vermelha balangando por aí, mas, por problemas legais, eu tive que optar pela gravata”.
Conheça um pouco mais sobre esta figura CONTESTADORA e INCONFORMADA, este publicitário que renunciou à carreira para trabalhar com inclusão digital.


– Vão se fudê.

1 – Qual o superpoder da sua gravata?

Basicamente, ela me exime de quaisquer responsabilidades e hábitos de higiene, e me regride à forma de um menino de 5 anos mimado. Uma vez engravatado, eu posso ser escroto, violento, amnésico, adúltero, ter incontinência urinária, e afins. É tipo falar “O Demônio que me fez fazer isso”, mas como não sou um cara religioso, eu ponho a culpa na gravata.

2 – O que uma mulher deve fazer para transformar o Francisco em Gravata?

Hm.. Acho que, pelos motivos supracitados, nenhuma mulher QUERERIA isso. Mas bebida e encheção de saco ajudam. Tipo quando namorada não quer que eu coma alho por causa do bafo. Porra, eu gosto de alho. Deixa eu comer meu alho em paz, cacete. Meu terapeuta diria que o MODE GRAVATA é um escapismo. Mas meu terapeuta não sabe bosta nenhuma.

3 – Se pudesse banir espécimes da sua lan house, quais seriam?

Ah, todo mundo acha que a resposta seria “nerds espinhentos e babões”. Mas esses são bacanas, até. Eu me identifico com eles, por ser um nerd babão. Só não tenho espinhas, que eu passei da idade. Na verdade, DE LONGE, os que mais enchem o saco é a turma do “isso é um absurdo”. É a turminha que chega sem RG, não quer fazer cadastro, eu mostro a porra da lei de LAN Houses pros filhos da puta, e ele ficam indignados e anti sociais. Aqui em Campinas, isso quer dizer um monte de playboy filhinho de Coroné batendo o pipi no balcão e falando “eu tô pagando essa pooooorra”.
Um cidade bem merda essa.

4 – Complete a frase: “O Tataco é…”

O vocalista de Metal Melódico Medieval com Influências Incas, Celtas e Druídicas mais peludo que eu já ouvi cantar.

5 – No filme indahouser da vida, qual seu personagem? (taí sua chance de foder a entrevista, vai)

Hahahaha… porra, essa é a pergunta cabeça, né? Caray. Vamos lá. No grande filme in da houser da vida eu seria o “garçom número 3”, que aparece na segunda cena, e fala “Senhor Oliveira, nossa máquina de ‘espresso’ está quebrada, o senhor aceita um café de coador?”, e morre com um tiro do Senhor Oliveira. Que, imagino, seria o Big. De alguma forma, eu sempre sonho com o Big me matando por causa de café. Acho que eu devo falar com meu terapeuta sobre isso.