Quando a “criança” – nome dado pelo Jorge para o espírito faxineiro – me acomete, gosto muito de colocar uma trilha sonora que acompanhe o momento. Geralmente, é alguma música bem datada, bem performática e que permita cantar junto, para que a limpeza seja mais energética. Em primeiro lugar, portanto, figura a velha canção do nosso amigo Paulinho do Caqui, Boom Boom.
Para aqueles que não viveram os anos 80 a todo vapor – eu mesma só tive uma breve noção –, a canção foi mais tarde regravada pelo Venga Boys, numa versão que não possuía nem um terço da energia da original, esta com sete minutos e meio de puro torpor sintetizado.
A letra é um caso à parte. Já na primeira fala, ouvimos Paulinho, em um momento “deixe o gato interior falar mais alto”, convidando o (a) baby para voltar para o quarto para mais um pouco de bumbum. Logo em seguida, ele diz que “can feel your DYNAMITE”. Ilustrativíssimo. Mais adiante, ele fala algo de sentir “my strong desire”. É, é uma canção bem sensual.
O resultado sempre agrada. A casa fica limpa, eu continuo disposta, e ainda tenho desejos incontroláveis de andar de pegnoir e turbante, tomando um dry Martini. Afinal, what can be gayer than a Paul Lekakis song? O clipe, claro.