Esperei até o último minuto para dar certo, e aí só poder falar bem.

Dia desses inventei de querer fazer um ex libris para catalogar meus livros. A Renetinhe já tinha feito um desenho para mim, só que eu nunca consegui achar um lugar que produzisse o carimbo, e no fim acabei perdendo o desenho.
Depois de muitas tentativas frustradas de fazer um desenho que prestasse, pedi ajuda à Biarritz. Ela fez o desenho baseado na máscara da Enid, do Ghost World, e ficou lindo. Aí fui para a segunda fase: achar algum lugar que fizesse.
Joguei no Google, e achei milhares de lugares que faziam e vendiam carimbos pela maior variedade de modelos e preços, do mais barato ao mais absurdo. Mandei e-mail para alguns e, ao fim de uma semana, só um tinha me respondido mais que uma vez: o Omar, da Carimboteca. Ele prestou assistência durante todo o processo, desde o envio do arquivo com a extensão certa, até o preço final -que não era nada absurdo, ainda mais depois de ver o resultado (segura).
Perto do dia combinado para a entrega do carimbo, ele ainda me mandou um e-mail dizendo que tinha atrasado o envio e, por isso, me mandaria via Sedex sem cobrar nada por isso. No sábado, o carimbo já estava comigo.
O resultado foi muito, mas muito melhor do que o esperado.

Eu não sabia dessa modalidade nova de carimbos em acrílico e um tipo de resina que não mancha e evita que o carimbo saia com falhas. Já testei e vou até reanimar minha almofada de glitter para sair carimbando tudo.
Eu fico muito feliz quando tudo sai direito, sem aqueles milhões de percalços e encheções. Por isso, acho bom deixar aqui que, Carimboteca, eu recomendo.