Ontem, por muito pouco eu não passei a viver a vida do Victor Mancini, personagem de Choke. Graças a um pedaço de lula mal-cortado, comecei a sufocar. No começo achei que fosse aquela coisa de falar “São Brás” que tudo melhorava, mas não adiantou. Ao meu lado, doutor Tenente dava uns tapinhas nas minhas costas, tipo cumprimento. Na minha frente, o namorado me olhava, curioso. E eu tentando dizer, em meio à minha falta de fôlego, HEIMLICH MANEUVER!
Ninguém fez nada, e eu acabei tossindo a lula. Azar meu, também não ganhei cheques de ninguém pelo ato heróico.