1 – Estava a caminho da manicure quando, num cruzamento, o carro que subia me mandou passar. Nisso, um motoboy deu um passo-Kramer e foi parar embaixo do meu carro. No final, ninguém teve seu Natal estragado muito menos perdeu a cabeça. O cara só tá meio manquinho, é isso. Aí eu lembrei: em 2000, era fim de dezembro, também atropelei um motoboy. Igualmente, não foi nada demais. É o septênio, gente!

2 – Tá, aí cheguei na manicure. Depois de uns dez minutos ali, senti algo estranho. Deixei a mulher ir falando um pouco da vida, até que captei: ela tinha sido minha “sogra” em 1999. Isso eu não sei explicar, não tem nada de septênio nessa constatação.