É isso. Acabou. Yeah. Ufa. Uhu. Sou livre. Aceito agrados por esta bela etapa transposta – muito embora eu não seja linda e louvada como o Jorge, mas é que ele é japonês.

Queria agradecer a Ana L’aura pela carona até a Alphagraphics e até o Senac. Se não fosse a Nhá Nela*, eu nunca teria me pós-graduado. Nhá Nela, você só me fode. Vlw, Brasil!

O post mentalmente desafiado é cortesia da casa. Toloca.

*Nhá Nela é a doce senhora que pariu o avô da Ana e era irmã da minha bisavó Mulata ou coisa parecida. É tudo culpa da Nhá Nela.