Tô afundada nos meus cds de backup, catalogando tudo dos anos anteriores. Aí achei esse texto, de data inominável – não que eu não saiba, mas não quero dizer mesmo. Escrevi esse texto e, umas semanas depois, aconteceu uma bizarrice.
Bom, primeiro o texto:

Eu poderia te largar por ele. Subiu no ônibus enquanto eu tentava decifrar a sapatinha do outro lado do corredor. Ela era bem feia, bem desarrumada, mas tinha uma voz doce de quem queria ser menino. Ele entrou no meio dos meus pensamentos e interrompeu a minha observação, para olhar nos meus olhos timidamente, e sentar no banco da frente. E continuar, o desgraçado, me olhando pelo reflexo da janela. Licença poética minha, essa parte. Eu nem sei se era pra mim.
Sacou um livro que o reflexo me contou ser do James Joyce. Mas não contou qual. E entre lembrar dos olhos e das bochechas meio flácidas demais, generalizei “será que ele é gay? Gay adora James Joyce”.
Fiquei olhando a nuca, as orelhas de abas fininhas, a barba por fazer. Me imaginei beijando essa barba. Mexendo em seu cabelo. Em que ponto ia descer. Torci pra que fosse no meu, mas logo ele tirou a nuca do meu campo de visão, e começou a botar o livro na bolsa. A jaqueta era vintage.
A sapinha levantou, ele levantou. Droga. Olhei melhor: calça Levi’s caída, all star preto. Mais de 1,90: confere. Cara de bobo inegável: confere. Será que ele ia virar pra trás e me pedir pra fugir com ele?
Não, desceu e foi embora. E nem olhou pra dentro do ônibus quando passou pela minha janela. Mas, ainda assim, eu te largava por causa dele.

Aí tinha um dia que estávamos eu, papai e mamãe, saindo do meu prédio. Eu usava a roupa mais horrorosa do mundo e carregava uma caixa com secos e molhados remanescentes da minha cozinha. O elevador parou no andar de baixo e adivinha quem entrou? Ele. Com as mesmas bochechas flácidas e a mesma jaqueta vintage. E eu querendo falar “você me atormentou um domingo inteiro”, mas não podia. Fiquei parada, eu e meus trajes horrorosos, enquanto ele se ocupava de ser lindo no mesmo elevador que eu.